Confira as produções do mês de Maio!

Saudações amigxs, parceirxs e clientes

Ontem findamos o mês de maio com produções bastante intensas. Foi sobretudo um mês pra colocar no mundo as coisas que venho organizando. Então vamos lá:

Design

Produção Gráfica

Finalizei alguns produtos que venho desenvolvendo para participação em feiras, como as que são organizadas pela Rede de Feiras Livres -Todos os tons de NegrXs. Inicialmente temos Impressos em A3 / Cadernos em A6 / Ímãs. Em breve chegarão as camisteas em serigrafia / stencil. Veja nas imagens:

Cadernos Altos Adinkras

Cadernos em tamanho A6, 24 páginas, baseados na tradição iconográfica Adinkra – Reino de Gana. Aliando design minimalista, conteúdos símbolicos e tradição cultural, a série Altos Adinkras traz como diferencial o recurso tecnológico de realidade aumentada. Ao apontar o aplicativo Aurasma (IOS, Android) sobre as capas dos cadernos é acionada a reprodução de uma vinheta animada, baseadas em outros Adinkras (que irão compor a segunda edição da série) e na identidade visual Bamako Produção. Simplicidade, elegância, cultura e tecnologia. Adquira seu caderno Altos Adinkras! Em breve mais informações sobre encomendas (ainda estamos começando – com os dois pés direitos, rsrsrs).

 

Ilustração

A produção continua, claro. É o que move nossas ideias:

 

Projeto Gráfico

Em maio desenvolvi a identidade visual para o projeto Sistema Amaro Branco de Comunicação Independente. Como ainda está para ser lançado, postarei aqui algumas versões do selo. Quando for lançado oficialmente, disponibilizarei o manual da identidade e as aplicações aqui no site, na página Design > Projetos.

 

Audiovisual

Neste campo venho desenvolvendo projetos para captação via edital ou financiamento coletivo, além de planejamento para oficinas de design de som. Mas ainda serão encaminhadas a partir deste mês de junho.

Cineclubismo

O Cineclube Bamako fez suas aberturas de temporada no Recife e em Porto Alegre. Em terras gaúchas também temos conversado com a Frente Quilombola-RS sobre a possibilidade de sessões em quilombos da capital e interior.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Maio de bastante trabalho e articulação!

wp-1462817528589.jpg

Roda de diálogo Parque Capibaribe

Boa tarde amigos e parceiros!

Este mês de maio já começou com diversas produções e articulações. Além das demandas mais rotineiras, como o trabalho com a Oi Kabum! Recife, com A Federação Pernambucana de Cineclubes (FEPEC) e com o Cineclube Bamako, estive participando de outras atividades que têm relação com meus interesses mais recentes em audiovisual, design e educação popular.

Na Oi Kabum! Recife estamos desenvolvendo obras para a mostra de arte e tecnologia que encerra o ciclo da V Turma da escola. No momento, estamos trabalhando com os núcleos de vídeo e computação gráfica uma obra que trata da temática do sexismo utilizando a linguagem da videodança e os recursos tecnológicos de realidade aumentada. Como educador tenho feito um trabalho bastante focado em sonoridades e os jovens estiveram bastante animados na elaboração da trilha sonora experimental.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nestas últimas semanas recebi um convite do projeto Parque Capibaribe (INCITI/UFPE) para participar de um vídeo de apresentação desta proposta. Na terça-feira passada, junto a outros dois convidados, participei de uma roda de diálogo que comporá este documento audiovisual. Esta roda aconteceu no Jardim do Baobá, espaço onde habita uma baobá centenário e onde hoje é um dos pólos de ação do projeto. Os organizadores, então, apresentaram as projeções para curto, médio e longo prazos, de um parque que percorrerá vários quilômetros, seguindo a extensão do Rio Capibaribe. Desta maneira, os convidados pudemos contribuir com sugestões de como pensar este modelo para uma cidade-parque que visa contemplar uma nova relação da Região Metropolitana do Recife com seus habitantes.

wp-1462818764332.jpg

Baobá Centenário – Jardim do Baobá

E agora no fim de semana (ontem e anteontem) estive imerso em uma experiência de Eco-Vila que está acontecendo no Sítio Ágata, município de Tracunhaém-PE. Após diversos momentos de luta, alguns trabalhadores desta região conseguiram a posse da terra e nela estão começando esta relação que busca estreitar os laços entre campo e cidade através da construção comunitária desta Eco-Vila, pautada em questões de sustentabilidade, relação de respeito à natureza, empoderamento étnico-racial (afro-indígena) e feminista. Foi uma vivência muito agregadora, estamos fortalecendo laços humanos entre pessoas de diversas lutas, de diversas áreas e que trazem conhecimentos distintos, que vão desde a agricultura familiar e bioconstrução, até a comunicação social e o pensamento/prática estratégica que a área de design social pode oferecer. E são nestes últimos pontos que penso em contribuir, além de, obviamente, aprender sobre as outras áreas do trabalho.

Pois é, muitas articulações externas têm sido feitas e cada vez mais as relações entre arte, design, audiovisual, construção política, ativismo estão se integrando. De tempos em tempos irei trazendo aqui mais novidades do andamento destas construções coletivas. Axé!

 

2016 Enfim!!!

levanteAh, depois de tanto tempo, eis que retorno as postagens do blog! O final do ano de 2015 foi bastante corrido e atribulado, tanto nas questões profissionais quanto nas pessoais. Mas 2016 chegou com várias novidades. Produção gráfica, audiovisual, oficinas, tudo bastante intenso.

Felizmente tenho me organizado para trabalhar mais com ilustrações autorais. Tenho rabiscado bastante, experimentando mais texturas, trabalhado nos detalhes e exercitado a paciência em trabalhos que estão levando mais tempo para serem finalizados. Tem sido muito prazeroso poder me dedicar mais a esta paixão, que foi durante tanto tempo protelada.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Como educador também tenho produzido bastante com a quinta turma de vídeo da Oi Kabum! Recife. Ainda no ano passado produzimos dois documentários, um sobre a bicicleta /mobilidade, outro sobre a cultura da gambiarra. No momento estamos trabalhando na produção de um programa de moldes televisivos com transmissão via internet. O produto está no processo de finalização, em breve coloco aqui.

Doc Reciclo, sobre a questão das bicicletas nos meios urbanos:

Doc Gambiart, sobre a cultura da gambiarra no contexto da arte, tecnologia do cotidiano:

Making Of do trabalho com arte e tecnologia do LabKabumRecife:

Também estou no processo de finalização de um curta-metragem autoral, chamado Via Livre. É um documentário de percurso, com viés experimental. Durante o meu percurso para ida ao trabalho fui registrando com um celular as diversas situações que encontro no cotidiano. Seja de ônibus convencional ou BRT, seja em trechos a pé, de carona em carro ou de bicicleta, fui gravando sem roteiro ou direção. Muitas das imagens deixava para o olho da câmera. Na montagem é que construí a narrativa. Falta apenas a finalização de som, que vai dar um trabalhinho. Com o celular as imagens até que ficam boas, mas o som merece mais atenção. Em breve disponibilizo com mais detalhes.

Além de tudo isso, tenho escrito projetos para o CCJ Recife e para o Cineclube Bamako. Também venho organizando, mediando, ou dando pequenas ajudas nas atividades da FEPEC. Muita coisa boa têm surgido, muitas articulações, debates, desenvolvimento de projetos e contatos importantes têm sido feitos, nesta faceta mais de produção.

E, para fechar, venho fazendo alguns trabalhos de design. O último deles foi o material gráfico para o site TOMPE.

Este slideshow necessita de JavaScript.

É isso, recomeçamos com tudo. Muita coisa em uma postagem só, mas irei fazendo novas postagens, menos volumosas. Vem vindo material bom por aí, aguardem!

 

Bônus: Operação Tapioca (uma greia dos intervalos do trabalho):

 

Documentário Encontro de Mídia Alternativa

Esse é o vídeo documentário que foi apresentado no  Encontro de Mídia Alternativa. Nele, 6 grupos que produzem mídias alternativas no Grande Recife falam um pouco de suas experiências. Manguecrew, Barraco Estúdio, CCJ, Canal Capibaribe, Rádio Pilar e Caracol de Arte e Comunicação são os protagonistas destas histórias, em alguns casos parecidas, em outros, bem diferentes.

Este é o resultado de um trabalho que se iniciou em 2010, quando entramos em contato com vários grupos para as gravações. Visitamos suas comunidades, trocamos idéias e vivenciamos experiências de solidariedade e cooperação entre nós e os demais grupos. Neste processo, a câmera que tínhamos à disposição se perdeu, então contamos com o apoio daqueles que entrevistamos.

Diversos formatos, diversas situações, diversas correrias. Objetivos comuns. Esperamos que curtam o documentário.

Aproveitando a deixa da oficina de Mobile Video, disponibilizamos o vídeo para download nos formatos 3GP [codecs H263 e MP4] e MP4 [codec MP4] para vocês assistirem no celular. Baixe aqui

MUTIRÃO ECOLÓGICO MAAC

Micro-documentário feito com celular sobre uma das atividades do Movimento de Articulação Ambiental e Cultural – MAAC na Mata da Várzea. UR-07/Várzea, Recife-PE, Julho de 2011.

Para esse, estava afim de experimentar recursos de pós produção: vinhetas em vídeo e música original. Para música utilizei o Fruity Loops 9.